Colaboradores da APC serão homenageados no Grito dos Excluídos em Roraima

 Colaboradores da APC serão homenageados no Grito dos Excluídos em Roraima

Participantes prestarão uma singela homenagem aos profissionais e colaboradores que atuam no combate da Covid-19 (Foto: Sesau/Arquivo)

Compartilhe nosso conteúdo

Tudo pronto para a 26ª edição do Grito dos Excluídos e Excluídas, a maior manifestação popular que acontece todos os anos, no dia 7 de setembro – Dia da Independência – em diversas cidades do Brasil e da América Latina. “Vida em Primeiro Lugar: basta de miséria, preconceito e repressão” é o tema deste ano.

Em Boa Vista, respeitando o distanciamento social, a programação preparada é uma carreata, que sairá às 8h30, da Praça Centro Cívico. Os manifestantes gritarão por “terra, trabalho, teto e participação” em torno da bola do centro, onde estão instalados os 3 poderes (Legislativo, Executivo e judiciário).

O ponto alto e, possivelmente, emocionante será no fim da carreata, por volta das 10h30, na APC (Área de Proteção e Cuidados), conhecida por Hospital de Campanha. Os participantes prestarão uma singela homenagem aos profissionais e colaboradores que atuam no combate da Covid-19, que são mais de 600 pessoas. Ou seja, desde as pessoas dos serviços gerais até à direção, porque todos e todas são doadores de vida para salvar vidas.   

De acordo com o coordenador das Pastorais Sociais da Diocese de Roraima, irmão Danilo Bezerra, todos que se sentem insatisfeitos com a situação vivida hoje no país são convidados a expressar o seu grito de lamento, grito de indignação e grito geral por melhores condições de vida. “Este evento é um espaço de participação popular e estamos todos inseridos num contexto de perda de direitos neste atual governo. Além disso, mais de 130 mil pessoas já morreram de Covid-19 por negligências, em razão disso queremos nos mobilizar como sociedade”, explicou.

Conforme a coordenadora do Centro de Migrações e Direitos Humanos da Diocese de Roraima (CMDH), irmã Telma Lage, a programação contará com todas as precauções devido à pandemia do novo coronavírus. “Cada um estará dentro dos carros, porque este não é o tempo de ‘bobear’, ainda vivemos em contexto de pandemia. Todos estarão de máscara e com os devidos cuidados. Contamos com a participação de todos para realizar esta homenagem, que também será transmitida pelas redes sociais da Diocese”, finalizou.

Neste ano, a mobilização quer chamar atenção da sociedade à necessidade de dar um basta à miséria, ao preconceito e a repressão, e à importância de ações que garantam, a todos, condições fundamentais para uma vida digna com trabalho, terra, teto e participação.

O bispo de Roraima, Dom Mário Antônio da Silva, reforça o convite para toda a sociedade de Roraima e comunidades católicas. “O Grito geme e suspira pela realização do Reino de Deus transformando os corações das pessoas. É o clamor que interpela os corações de boa vontade e abre caminhos para que a justiça e a paz se abracem”, ressaltou.  

“Que as nossas atitudes sejam de solidariedade e cuidado, nos conduzindo para a construção da “civilização do amor”, na construção de uma sociedade Justa, Fraterna e Solidária, onde ‘a vida esteja em primeiro lugar’, onde os bens da criação estejam a serviço de todos”, completou.

Com informações da Diocese de Roraima

Bruna Cássia

Você também vai gostar de ler

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x