Cuidados com osteoporose precisam ser redobrados entre as mulheres

 Cuidados com osteoporose precisam ser redobrados entre as mulheres

Dados do Ministério da Saúde mostram que as mulheres são mais propensas a ter osteoporose (Foto: Secom-RR/divulgação)

Compartilhe nosso conteúdo

Que uma boa alimentação é fundamental para a saúde isso todo mundo já sabe, mas você sabia que por meio da alimentação combinada com uma rotina de exercícios físicos é possível prevenir a Osteoporose? Uma doença crônica que causa o enfraquecimento progressivo da massa óssea, deixando os ossos frágeis e que muitas das vezes é silenciosa e sem tem cura.

Dados do Ministério da Saúde mostram que as mulheres são mais propensas a ter osteoporose, uma vez que de acordo com as estatísticas, apenas um homem a cada quatro mulheres apresenta a doença. O motivo está no estrogênio, o hormônio que ajuda a equilibrar a saúde dos ossos nas mulheres e que após a menopausa, apresentam redução, deixando as estruturas mais frágeis.

De acordo com o médico ortopedista, Marcelo Gomes, que atua na Clínica Médica Especializada Coronel Mota, entre os 20 e 30 anos há o pico máximo de desenvolvimento da massa óssea e mesmo na juventude é preciso ter atenção redobrada com a alimentação e atividades físicas, apesar da correria do dia-a-dia.

“O consumo de bebidas alcoólicas, baixa ingestão de cálcio, tabagismo e falta de vitamina D também são agravantes, por isso é indicado o exame de Densitometria Óssea para mulheres a partir de 65 anos e para todos homens com 70 anos ou mais para confirmar a presença da osteoporose” explicou o médico.

Segundo o médico a coluna, o punho e o colo do fêmur são os locais mais afetados pela doença, que muitas das vezes só é descoberta quando acontece a fratura de algum membro, por ser uma doença silenciosa e com sintomas pouco evidentes.

TRATAMENTO – Em Roraima o tratamento pode ser feito no NERF (Núcleo de Reabilitação Física) que é a unidade especializada na reabilitação física e dispõe de uma equipe multiprofissional composta por fisioterapeuta, médico ortopedista, médico neurologista, assistente social, terapeuta ocupacional, nutricionista e psicólogo. Na unidade, também são realizadas consultas, avaliação, diagnóstico, terapias, indicação de órtese, prótese e meios auxiliares de locomoção.

“O paciente chega com o encaminhamento medico, devidamente diagnosticado e o tratamento é conforme o estado clínico, por meio de terapêuticos que incentivam o fortalecimento da arquitetura óssea, a musculatura e o equilíbrio, permitindo que o paciente possa se recuperar o mais breve possível, quando o tratamento não é precoce ele pode ter uma fatura e na Unidade é feita esse acompanhamento”, acrescentou o fisioterapeuta Ronaldo da Silva, mestre em Ciências na Saúde.

PESQUISA – Uma pesquisa realizada em 2018 constatou que em Roraima 5% da população masculina entre 40 e 50 anos já está acometida por osteoporose e 15% com Osteopenia (o início da doença), durante o acompanhamento de pacientes do Nerf e Coronel Mota.

“Desta forma percebemos que embora tenhamos a nível nacional uma maior fragilidade entre as mulheres, é fundamental que os homens também cuidem da saúde e façam a prevenção, os homens não procuram atendimento médico de rotina, por isso alguns médicos ainda afirma que a osteoporose é patologia mais ocorrente no público feminino pela sub notificação no masculino”, complementou o fisioterapeuta.  

Com informações da Secom-RR

Bruna Cássia

A jornalista Bruna Cássia integra a Redação da Rádio Difusora de Roraima - AM 590

Você também vai gostar de ler

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x