Especialista de RR alerta sobre uso indiscriminado de antibióticos

 Especialista de RR alerta sobre uso indiscriminado de antibióticos

Uso indiscriminado de antibióticos pode causar danos irreparáveis à saúde (Foto: Secom-RR/divulgação)

Compartilhe nosso conteúdo

A descoberta dos antibióticos foi um grande avanço para a saúde global da população e eles têm sido fundamentais em muitos tratamentos, mas o uso excessivo e sem prescrição médica pode causar sérios problemas, como a resistência de determinadas bactérias, que torna o medicamento ineficaz e aumenta o risco de propagação de doenças.

A infectologista Alessandra Martins esclarece que o uso indiscriminado dos antibióticos pode causar danos irreparáveis à saúde do paciente.

“Seguir rigorosamente a prescrição médica é fundamental, antibióticos só devem ser usados nas doses prescritas e no prazo determinado pelo médico, é importante essa atenção para o uso racional”, destacou a médica.

A médica ressalta que o tratamento não deve ser interrompido, pois as bactérias mais fortes ganham espaço e continuam se multiplicando e adquirindo a resistência aos antibióticos.

“Não se pode encurtar o intervalo entre uma dose e outra, também não acelera o processo de recuperação, combinações inadequadas, doses inadequadas, anulam o efeito, ou até mesmo potencializam efeitos indesejados”, complementou Alessandra.

A dona de casa, Amalia dos Santos, mãe de dois filhos, já utilizou os antibióticos de forma indevida, mantendo em casa mesmo após o fim do tratamento pois acreditava que ele poderia ser útil em outro momento.

“Muitas vezes eu acabava guardando os antibióticos que sobravam, acreditava que poderiam ser usados em outra ocasião, mas descobri que não é bem assim, deve ser usado conforme a recomendação do médico e depois descartado. Hoje sigo atentamente as orientações do médico e tente sempre evitar os erros”, alertou.

TIRE DÚVIDAS

Leia atentamente a receita na presença do médico, e tire todas as suas dúvidas sobre como tomar o medicamento, esclareça com ele o nome do remédio, a quantidade e os horários de cada dose e a via de aplicação.

“Isso é um problema que tem se tornado cada vez mais grave. A resistência bacteriana hoje em dia é considerada uma grande ameaça à saúde pública global, por isso as pessoas não devem sair do consultório com dúvidas”, destacou Alessandra.

Segundo a infectologista outra medida importante é ler a bula, pois nela é possível encontrar informações valiosas sobre a ação do medicamento, como posologia, reações adversas, interações medicamentosas, contraindicações, e muitas outras informações importantes, que são descartadas por muitas pessoas.

“Às vezes o fato de você abrir a medicação, pode reduzir a vida útil dele, então você aproveitar medicamentos que você já usou não é a forma mais adequada, e nada de automedicação, pois esse é outro perigo para a saúde”, disse a médica infectologista Alessandra Martins.

Da Secom-RR

Bruna Cássia

A jornalista Bruna Cássia integra a Redação da Rádio Difusora de Roraima - AM 590

Você também vai gostar de ler