Polícia Federal deflagra operações ‘Illusion’ e ‘Black Friday’ em Roraima

 Polícia Federal deflagra operações ‘Illusion’ e ‘Black Friday’ em Roraima

Segunda fase da operação Illusion começou pela manhã (Foto: PF/divulgação)

Compartilhe nosso conteúdo

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira, 18 de novembro, a segunda fase da operação Illusion, com o objetivo de desarticular mais uma associação criminosa que estaria envolvida em crimes de contrabando e descaminho em Roraima.

Policiais federais cumprem, 4 mandados de busca e apreensão em Boa Vista, expedidos pela 1ª Vara Federal de Roraima, após representação da Autoridade Policial e manifestação favorável do Ministério Público Federal.

Os cumprimentos dão sequência às investigações acerca de associações criminosas que, por meio de “lojas virtuais”, localizadas em Roraima, comercializam produtos que entraram ilegalmente no Brasil, iludindo o pagamento de impostos ou se tratando de itens proibidos ou em desacordo com a regulamentação legal.

São alvos das buscas, nesta etapa, um casal e um irmão do marido que seriam proprietários de uma empresa de comércio que atuaria na prática dos crimes. A esposa viajaria várias vezes ao ano para os Estados Unidos para adquirir os itens que seriam vendidos no Brasil.

Os suspeitos são investigados pelos crimes de Contrabando, Descaminho e Associação Criminosa, cujas penas podem chegar a 12 anos de reclusão e multa.

Aqueles que adquirem produtos que sabem ser de origem criminosa ou mesmo com indícios de serem (tais como desproporção entre o valor e o preço ou pela condição de quem oferece o produto) podem responder pelo crime de receptação.

OPERAÇÃO BLACK FRIDAY

Também nesta quarta-feira, 18, a Polícia Federal deflagrou a operação Black Friday, para investigar um possível esquema de corrupção eleitoral envolvendo um candidato a prefeito de Normandia, em Roraima.

Policiais Federais cumprem um mandado de busca e apreensão expedido pela 5ª Zona Eleitoral de Roraima após representação da Autoridade Policial e manifestação favorável do Ministério Público Eleitoral.

A ação é um desdobramento de uma apreensão realizada no dia 14 de novembro, quando o candidato foi surpreendido pela PF com quase R$ 30.000,00 em espécie, sem comprovação de origem, bem como anotações com nomes possivelmente relacionados a compra de votos e indicação de doação de cestas básicas. Ele saía de uma comunidade indígena no momento.

Durante as buscas foram encontrados documentos com anotações e referência a valores que teriam sido pagos a terceiros, relações familiares e outras informações, possivelmente relacionados à corrupção eleitoral. O candidato não foi eleito.

As investigações seguem em andamento.

Da Assessoria

Bruna Cássia

A jornalista Bruna Cássia integra a Redação da Rádio Difusora de Roraima - AM 590

Você também vai gostar de ler

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x