Pesquisa do IBGE mostra que RR registrou recorde de nascimentos, aumento no número de casamentos e queda de divórcios

  • Geral

Roraima bateu recorde de registro de nascimentos em 2019, segundo dados da pesquisa Estatísticas do Registro Civil, divulgados nesta quarta-feira, dia 9 de dezembro, pelo IBGE.

Roraima, desde 2015, registra crescimento contínuo no número de nascimentos no estado. Só ano passado, foram 14.831 registros de nascimentos, sendo que, desse total, 13.078 se referem a crianças nascidas em 2019 e registradas no mesmo ano, enquanto aproximadamente 11,8% (1.753) correspondem a pessoas nascidas em anos anteriores ou com o ano de nascimento ignorado.

O número de registros de nascimentos em 2019 foi o maior da série histórica da pesquisa em Roraima. Em comparação com 2015 (10.732 nascimentos), o crescimento foi de 38,2%.

Cresce número de casamentos e cai número de divórcios

Após quedas consecutivas desde 2015, o número de casamentos em Roraima aumentou 3,5% entre 2018 e 2019 (foi de 2.020 para 2.091). Por outro lado, o número de casamentos em cartório recuou em todas as regiões do país, com mais intensidade no Sudeste (-4%) e menos no Norte (-0,3%).

O casamento civil entre pessoas do mesmo sexo – que responde apenas por 0,86% do total de casamentos realizados em Roraima – subiu 260% entre 2018 e 2019, totalizando 18 casamentos. Os matrimônios entre cônjuges femininos representaram 61,1% desse total.

Centro-Oeste (-13,1%) e Sul (-12,8%) foram as regiões com as quedas mais acentuadas no número de casamento entre pessoas do mesmo sexo. Apenas no Norte houve aumento (6,5%).

Já o número de divórcios (658) concedidos em 1ª instância ou por escrituras judiciais em 2019 caiu 26,8% em relação a 2018 (900 divórcios) e 41,9% em relação a 2015, quando o número de divórcios registrados foi de 1.133.

Número de mães com menos de 30 anos segue em queda

Nas últimas décadas, houve uma mudança estrutural na idade em que as mulheres têm filhos. Em 2003, os registros de nascimentos cujas mães tinham menos de 30 anos em Roraima eram de 75,2% do total, caindo para 69,3% em 2019.

A região Norte tem a proporção mais elevada de mães jovens. 28,8% dos registros de nascimentos em 2019 foram de crianças cujas mães tinham entre 20 e 24 anos. Outros 20,5% foram de mães com menos de 20 anos. Já a proporção de nascimentos cujas mães tinham 30 anos ou mais ficou em 27,5%, inferior à média nacional (37,4%).

Por outro lado, tanto no Sudeste (41,8%) quanto no Sul (40,9%), a proporção de nascimentos cujas mães tinham 30 ou mais anos de idade já passa dos 40%.

51,2% dos óbitos são de pessoas com mais de 65 anos

Em 2003, o registro de óbitos de pessoas com 65 anos ou mais de idade representava 42,7% do total no estado; em 2009, esse número passou para 47,4%; e em 2019, alcançou 51,2%.

O maior aumento neste período ocorreu entre 2008 e 2019, com o volume de óbitos saltando aproximadamente 123%, passando de 1.166 (2008) para 2.600 (2019). Esse aumento expressivo é explicado, em grande parte, pelo aumento populacional do estado.

Percentualmente, a participação dos óbitos de menores de 1 ano de idade permaneceu estável em Roraima. Em 2003, os óbitos de menores de 1 ano representavam 7,2%. Em 2019, esse número passou para 7,4%. Já os grupos de 1 a 4 anos e o de 5 a 9 anos apresentaram quedas expressivas entre 2003 e 2019.

Da assessoria