Mestrado em Saúde e Biodiversidade da UFRR recebe inscrições até 12 de março

  • Educação

Seguem abertas as inscrições do processo seletivo para ingresso na primeira turma do Programa de Pós-graduação em Saúde e Biodiversidade da Universidade Federal de Roraima (PPGSBio/UFRR). 

Os interessados em concorrer a uma das 19 vagas têm até o dia 12 de março, para enviar a documentação digitalizada e realizar a inscrição on-line pelo Sistema Integrado de Gestão das Atividades Acadêmicas – SIGAA.

As atividades do Mestrado Acadêmico em Saúde e Biodiversidade, ocorrerão no ano letivo 2021.

Entre as vagas, quatro estão reservadas para Ações Afirmativas (candidatos autodeclarados negro (preto ou pardo), indígenas ou pessoas candidatas com deficiência) e 15 para Ampla Concorrência. A inscrição é R$ 150,00 e a isenção da taxa pode ser solicitada até 26 de fevereiro.

O edital completo pode ser lido clicando aqui.  

As linhas de pesquisa do PPGSBio são Biociências, com sete vagas para Ampla Concorrência e duas para Ações Afirmativas;  e Ciências da Saúde e Sociedade, com oito vagas para Ampla Concorrência e duas para Ações Afirmativas.  

Podem concorrer os candidato com formação de nível superior em Agronomia, Agronomia Florestal, Biologia, Bioquímica, Biomedicina, Ecologia, Enfermagem, Educação Física, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Gestão em Saúde Coletiva Indígena, Medicina, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Psicologia ou Zootecnia.  

O mestrado pretende formar profissionais com uma visão interdisciplinar, capazes de atuar em atividades de ensino e pesquisa nas áreas de saúde, meio ambiente e biodiversidade, além de aprimorar conhecimentos teóricos e práticos para a pesquisa acadêmica voltada ao desenvolvimento de conhecimentos que contribuam com temas relevantes para a região amazônica. 

De acordo com Fabiana Nakashima, coordenadora do PPGSBio, outro foco do mestrado é preparar o estudante de pós-graduação para permanecer no meio acadêmico, estimulando a fixação de especialistas com perfis inovadores na Amazônia setentrional, que tem como uma de suas características a carência de profissionais em diferentes áreas.

Fonte: UFRR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.