Ruas de BV ficam intrafegáveis após forte chuva

  • Cidades

Com a forte chuva no início da semana, a moradora Giselle Oliveira se deparou com uma situação desagradável: a rua em que ela mora, Marta Jucene dos Santos, no bairro Murilo Teixeira em Boa Vista, estava completamente alagada.

Sem infraestrutura, a via ficou totalmente intrafegável e segundo relatou, carros, motos e até bicicletas atolam no local.

Ela fez um desabafo sobre esse e outros problemas. “Com a chuva, ficou só lama e cheio de buraco. O bairro é pequeno, são apenas três ruas principais e nenhuma dela tem asfalto. Ainda enfrentamos o problema da falta de transporte público, escola e unidade básica de saúde”, relatou.

A Ana Karine, moradora da rua Capela, no conjunto Cidade Universitária que fica dentro do bairro Cidade Satélite, também enfrentou o mesmo problema.

“Todas as ruas do meu bairro estão alagadas. Precisei passar com meu carro e ele afundou, falhou e eu temi ter prejuízos por conta disso. É muito difícil, pois precisamos sair para trabalhar. Há anos enfrentamos esse problema, então faço um apelo para que a prefeitura olhe por nós”, disse.

Roraima entrou no período chuvoso que deve durar até setembro. Segundo a Femarh, o pico ocorrerá em junho e julho.

A Rádio Roraima entrou em contato com a Prefeitura de Boa Vista para saber se há previsão de obras de infraestrutura nos locais.

A Prefeitura informou que é importante que os moradores utilizem a Central 156 para solicitações, encaminhamentos e demandas. Só assim é possível gerar um protocolo de atendimento para que os serviços sejam avaliados.

Reforça que o município tem conhecimento da situação da rua e planejamento para atender com asfalto todas as vias da cidade que ainda não têm infraestrutura. Como por exemplo, a rua Marta Jucene dos Santos, no bairro Murilo Teixeira. A rua Capela, no Cidade Universitária, está contemplada com drenagem, pavimentação e urbanização. Atualmente a empresa iniciou a execução da drenagem no bairro.

A prefeitura também informou que já tem obras em andamento em mais de 100 trechos, principalmente em bairros da zona Oeste.

A Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitacional (EMHUR) informa que já possui um estudo técnico para ampliar a linha, porém, a pandemia acabou atrasando esse processo. Mas reforça que está trabalhando para que possa atender ao Murilo Teixeira com o serviço.

Assim como a Secretaria Municipal de Saúde e de Educação, que também trabalham em estudos técnicos. Sobre a reclamação do transporte público, a prefeitura não deu resposta.

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.