Governo estimula turismo em terras indígenas

Doze comunidades indígenas receberam, entre os dias 24 e 29 de janeiro, a Visita de Familiarização Turística, o Famtour, promovido pelo Governo de Roraima por meio da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento.

A medida foi parte das ações do programa Turismo 2030, e levou nove agências de turismo receptivo devidamente credenciadas no Cadastur Roraima, às terras indígenas e comunidades que já têm planos de visitação turística em elaboração e/ou protocolados na Fundação Nacional do Índio.

A iniciativa teve início na Comunidade Guariba, em Amajari, onde a equipe recebeu das lideranças locais as informações necessárias para a elaboração e comercialização de roteiros de visitação naquela comunidade.

Logo depois a visita seguiu para a Comunidade Bananal, em Pacaraima, município que também recebeu a mesma atividade nas comunidades indígenas do Kauwê, Tarau Paru e Igaarumã e Nova Esperança. Em seguida a programação chegou ao município de Uiramutã, no Centro Regional Flexal. E encerrou na Comunidade da Raposa I, em Normandia.

O Famtour também teve por objetivo coletar informações e imagens para elaborar a nova edição da revista Roraima: Um Destino, Mil Roteiros, com temática exclusiva do Etnoturismo do Estado.

Segundo o diretor do Departamento de Turismo, Bruno Muniz Brito, a temática vai de encontro com as ações de promoção turística neste ano que se soma aos esforços das Rotas Amazônicas Integradas, as RAI, cuja temática de 2022 é o Etnoturismo na Amazônia.

O Famtour foi realizado com as agências de turismo que trabalham com receptivo de Roraima e contou com o apoio do Sebrae – Roraima (Serviço Brasileiro de Apoio as Micro e Pequenas Empresas), Prefeituras de Amajari, Pacaraima, Uiramutã e Normandia, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e de todas as comunidades indígenas envolvidas.

Turismo em terras indígenas é feito desde 2019

Desde 2019 o turismo em terras indígenas vem sendo trabalhado pelo Governo do Estado, por meio do Departamento de Turismo e, para 2022, a meta é tornar uma realidade em Roraima a atividade do Etnoturismo.

“Nesse sentido, a equipe do Detur vem trabalhando na sensibilização e capacitação das comunidades para a prática de um turismo inclusivo e sustentável por meio da elaboração do Plano de Visitação, com isso apresentando resultados otimistas, tendo alcançado regiões até então consideradas inacessíveis”, disse Bruno.

Como parte dessa política pública voltada para o desenvolvimento do etnoturismo destaca-se o I Workshop de Etnoturismo em Terras Indígenas de Roraima, realizado em novembro do ano passado, com todos os atores do turismo que operam com receptivo no Estado, que orientou e apresentou as comunidades indígenas que estão aptas a compor roteiros de integração com os visitantes.

Escrito por Jacildo Bezerra